Da Redação

Um jovem que era investigado por compartilhar fotos usando uniforme semelhante à Polícia Civil foi ouvido nessa quarta-feira (8) na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Civil, Airton Alex Nunes, de 26 anos, conhecido como Alex Bafo, confessou que usava o uniforme e a arma para atrair mulheres que conhecia pelo WhatsApp.

O advogado de Alex, Rafael Panzarini, acompanhou o jovem durante o depoimento.

“Ele tem um sonho de se tornar policial e se matriculou em um cursinho. No começo do ano ele comprou as roupas, o distintivo e mandou fotos para algumas meninas”, comentou o advogado.

Em outras imagens, o jovem aparece segurando uma espingarda e uma arma (Foto: Polícia Civil de MT/Divulgação)

A polícia teve acesso e divulgou fotos em que Alex aparece usando camisetas, coletes e até o distintivo da Polícia Civil de Mato Grosso. Em outras imagens, o jovem aparece segurando uma espingarda e uma arma.

Em depoimento ao delegado Diego Martiniano, na Derf, Alex contou que comprou todo o material – uma camiseta, um colete e um distintivo – por um site de compras e vendas.

Antes disso ele se matriculou em um curso voltado para concursos na área policial. O suspeito afirmou ainda que nunca usou o uniforme fora de casa.

“[Ele] tirava fotos que encaminhava via WhatsApp para mulheres, possíveis pretendentes. Sobre as armas disse que uma é de pressão e a outra é de um amigo que é policial militar”, consta trecho do depoimento de Alex.

O delegado perguntou sobre o distintivo, mas o suspeito explicou que jogou fora. Alex foi ouvido e vai responder criminalmente por uso ilegítimo de uniforme ou distintivo, posse ou porte de arma de fogo.

Airton Alex Nunes (Foto: Polícia Civil de MT/Divulgação)

Ele foi liberado após o depoimento. Conforme o advogado dele, Alex nunca se aproveitou do uniforme para sair de casa ou em algum tipo de situação, apenas mandava para mulheres.

Busca e apreensão

As buscas foram realizadas em um apartamento no Bairro Santa Marta, em Cuiabá. Os policiais apreenderam uniformes completo da Polícia Civil, contendo, inclusive, o brasão da instituição.

A denúncia chegou até a polícia no dia 30 de julho e informava sobre um rapaz que estaria com arma de fogo, uniformes e se passando por investigador. Fotos tiradas pelo suspeito também foram compartilhadas no aplicativo WhatsApp.

No Banner to display

Os comentários estão fechados.