Da Redação

Após três meses de investigações da Delegacia Especializada de Entorpecentes, a Polícia Judiciária Civil deflagrou  na manhã desta sexta-feira (13), a operação “Spot” (situação de mercado que envolve o pagamento à vista, com entrega imediata do produto ou serviço), para desarticular uma associação criminosa que atua na compra, logística e distribuição de entorpecentes na região metropolitana.

Desde as primeiras horas, policiais civis delegacias da Diretoria de Atividades Especiais e Diretoria Metropolitana cumprem 37 mandados judiciais, expedidos por duas Varas Criminais de Cuiabá. São 13 mandados de prisão preventiva da 13ª Vara Criminal Especializada em Entorpecentes; 10 mandados de busca e apreensão da  13ª Vara Criminal  e 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela 9ª Vara Criminal.

Durante três meses de investigação, mais de 1,5 tonelada de maconha foram apreendidas pela Delegacia de Entorpecentes (DRE), que teve apoio da Polícia Rodoviária Federal, em alguns dos trabalhos.

Participam da operação 150 policiais civis, lotados na DRE e em unidades da Diretoria de Atividades Especiais (GCCO, GOE, GEPOL, DEFAZ, DEMA, GOA) e em delegacias da Diretoria Metropolitana (DHPP, DERRFVA, DERF Cuiabá, DERF/VG, DEDDICA, DEA Cuiabá).

Nome da operação – Na logística, as negociações de pagamento de frete normalmente são realizadas por meio de contratos em longo prazo com um ou mais fornecedores de transporte. Contudo, existe outra modalidade que também pode ser explorada pelos embarcadores, conhecida como logística Spot, que refere-se a ‘local’, outras vezes a ‘imediato’, em tradução livre do inglês para o português. Está relacionado a uma situação de mercado que envolve o pagamento à vista, com entrega imediata do produto ou serviço. Por isso, quando se fala em Spot para logística, entende-se que é preciso envolver outra transportadora no serviço de entrega rápida para atender a demanda.

No Banner to display

Os comentários estão fechados.