Reitor da Unemat detalha aplicação do percentual de 2,5% da receita

A Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto ouviu, na tarde desta quarta-feira (3), o reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Rodrigo Bruno Zanin. Na oportunidade, Zanin fez uma explanação a respeito da aplicação do percentual de 2,5% da receita corrente líquida destinada à manutenção e ao desenvolvimento da instituição, conforme previsto no artigo 246, inciso VI, da Constituição do Estado de Mato Grosso, bem como a expansão de cursos e campus da Unemat.

“Ficou evidente durante a apresentação que o orçamento vem sendo bem aplicado, diante do trabalho que a Unemat vem desenvolvendo ao longo dos anos. Entendo que o estado deve continuar investindo na educação pública e o resultado está no crescente número de alunos matriculados na Unemat, que hoje atinge 23 mil estudantes”, disse o presidente da comissão, deputado Thiago Silva (MDB).

Durante a apresentação, Zanin explicou que a Unemat está em 45 dos 141 municípios mato-grossenses. A entidade possui 13 campi, 17 núcleos pedagógicos e 24 polos educacionais de ensino à distância.

São cerca de 23 mil acadêmicos atendidos em 60 cursos presenciais e em outros 129 cursos ofertados em modalidades diferenciadas. Segundo o reitor, a instituição conta com quatro doutorados institucionais, quatro doutorados interinstitucionais (Dinter), três doutorados em rede, 11 mestrados institucionais, um mestrado interinstitucional (Minter) e cinco mestrados profissionais.

“A Unemat é importante para o desenvolvimento de Mato Grosso. Ela representa o patrimônio do povo mato-grossense e está nos lugares mais distantes”, disse o reitor.

O deputado Wilson Santos (PSDB) questionou o reitor se há estudos para a construção do campus da Unemat para Cuiabá. Porém, Zanin não descartou essa possibilidade, mas admitiu que depende única e exclusivamente de orçamento. “Essa hipótese não está rejeitada, mas precisamos ter recursos e infraestrutura adequada para isso”, apontou ele.

Zanin mostrou detalhadamente como o orçamento é investido na Unemat. Segundo ele, um fato interessante aconteceu em 2013, quando o orçamento daquele ano (R$ 204 milhões) foi maior do que o de 2014 (R$ 197 milhões). “Apesar disso, conseguimos manter nossa programação, mesmo com dificuldades”, revelou o reitor, falando também que o gasto aluno/ano pela Unemat está orçado em 17 mil reais.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Nilton Borgato, percebe que o Estado e a Nação que não investem na educação estão fadados ao fracasso.

“Acho importante o trabalho com transparência para podermos defender essa instituição que tem ajudado muito o estado de Mato Grosso. O estado vai cumprir os limites que estão na Constituição  e, principalmente, preencher as metas destinadas para a Unemat”, garantiu Borgato.

A reunião de hoje contou também com professores, estudantes e classe acadêmica de Rondonópolis, que cobram a aquisição de um prédio próprio para o campus naquele município.

“A Unemat desenvolve ações pioneiras para atender às demandas específicas do estado e merece ter um prédio próprio”, lembrou o deputado Valdir Barranco (PT).

Também participaram da reunião desta quarta-feira os deputados Lúdio Cabral (PT), Sebastião Rezende (PSC), Delegado Claudinei (PSL), Dr. João (MDB) e Romoaldo Junior (MDB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *