Implantes dentários brasileiros estão entre os melhores do mundo

No Brasil, o setor de implantes dentários vem crescendo, em média, 15% ao ano, sendo que cerca de 800 mil unidades dessas raízes artificiais são colocadas anualmente no País. Não é pouco: somos hoje o segundo mercado global do segmento, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

E temos um case importante por aqui. A brasileira , por exemplo, é a uma das maiores empresas do mundo no setor da implantodontia. Fundada em 2003, a companhia já atua como a sétima fabricante no ranking mundial, sendo que marca presença em 16 países.

No Brasil, a indústria nacional atende 90% do mercado interno e está em crescente expansão, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar (Abimo).   Por isso, é fato que a indústria de implantes dentários constitui um negócio potencialmente promissor, seja aqui ou lá fora.

A explicação do sucesso dos implantes brasileiros advém de uma cultura de investimentos em pesquisas e desenvolvimento, estratégia crucial para ocupar posição relevante no Exterior.

Uma das grandes razões da qualidade dos implantes da é a importância que a empresa dá também para as certificações de processos, além de uma cultura organizacional que valoriza a responsabilidade socioambiental e a ética. A empresa recebeu recentemente sinal verde do rigoroso FDA (Food and Drugs Administration), órgão responsável por regular medicamentos e artigos médicos nos Estados Unidos.

Para cada novo tipo de implante dentário que coloca no mercado. A S.I.N. realiza pesquisas junto às principais faculdades de odontologia do mundo, como Universidade de Gotemburgo (Suécia), Universidade do Michigan (EUA), Ku Leuven (Bélgica) e New York University (EUA), além da Universidade de São Paulo.  “Para o Unitite, por exemplo, foram oito anos de desenvolvimento, de 2008 até 2016”, explica o CEO e presidente da empresa Felipe Leonard.  “Destinamos 20% de nossa receita com P&D, além de marketing científico”, completa.

Um dos fatores-chave para o sucesso da é, por exemplo, a nanosuperfície ativada dos , utilizada nas linhas Unitite e Strong SW Plus. Graças à essa tecnologia de ponta, cuja patente é guardada a sete chaves pela S.I.N., os implantes da marca brigam de igual para igual com os maiores players internacionais. “O avanço tecnológico é bastante vantajoso e oferece enorme rapidez, já que em 30 dias o paciente poderá ter seu sorriso reabilitado, prazo recorde, se comparado aos implantes que se utilizavam antes”, explica Leonard. “Além disso, entregamos precisão muito maior, com a perfeita osseointegração e estabilidade do implante”, completa.

Não é à toa que a cresceu tanto desde sua fundação e segue sua trajetória de sucesso internacionalmente. O país é referência mundial em saúde bucal e odontologia, o que favorece desde sempre o cenário das exportações. Atualmente, 10% da produção da matriz brasileira é exportada.

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *