Mulher

Dia 8 de março, dia Internacional da Mulher. É como se fosse o dia das mães, das avós, das amigas, das irmãs tudo ao mesmo tempo. É o dia do motivo de estarmos aqui, é o dia da força, da coragem, do amor.

Quando você xinga uma mulher, você xinga todas nós; quando você bate em uma mulher, você bate em todas nós; quando você faz piada contra uma mulher, você ofende todas nós; quando você não se importa com o feminicídio, você mata um pouco cada uma de nós.

Agradar uma mulher não é sobre mandar flores no dia dela, é saber o significado de respeito o ano todo. Esse vale muito mais que rosas, margaridas e girassóis. É claro que você pode e deve a surpreender seja com flores, jantares, bombons ou qualquer outra coisa que ela goste, mas nada disso vale se não vier junto com amor e respeito. A mulher que dentro de mim luta para ser respeitada num país machista é a mesma mulher que luta dentro das outras à minha volta pela mesma causa

A mulher que dentro de mim luta para ser respeitada num país machista é a mesma mulher que luta dentro das outras à minha volta pela mesma causa. É a mesma que não quer ser assediada nas ruas, é a mesma que tem medo de ser estuprada, é a mesma que batalha para não morrer nas mãos de homens agressores.

Não é fácil ser uma mulher e não é pelo fato de sangrar todo mês (se fosse só isso tiraríamos de letra como fazemos), mas sim pelo fato de ainda precisarmos brigar por igualdade. Quantos homens não dormem junto com alguém num primeiro encontro e não são julgados e quantas mulheres fazem o mesmo e são? Quantos homens traem e não são lembrados e quantas mulheres ao fazer o mesmo são?

Não precisamos de números para saber que nós mulheres somos julgadas dia e noite, pelo que fazemos ou pelo que deixamos de fazer. E para piorar temos que lidar com a competição que fazem entre a gente, como se fôssemos inimigas. Como feminista eu digo: não somos inimigas, somos cúmplices de uma força sem tamanho e vamos lutar sim umas pelas outras para que mais nenhuma morra pelo fato de ser mulher.

Nenhuma de nós vai apanhar sem que a outra faça um escândalo, nenhuma de nós vai ser humilhada sem que a outra grite para o mundo pela existência de todas, nenhuma de nós vai morrer pelas mãos do machismo sem que as outras causem um alvoroço pela vida que se perdeu.

“Ninguém vai derrubar minha mana”.

MICHELLE LEITE DE BARROS é advogada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *