Lacrimejar com frequência pode ser um sinal de alerta

A principal função da lágrima é lubrificar e proteger os olhos. Elas são produzidas continuamente e drenadas por um canal chamado via lacrimal. Se esse sistema de drenagem estiver comprometido, ocorre o acúmulo da lágrima e, então, o lacrimejamento contínuo e excessivo.

Esse problema tem nome e muita gente não faz ideia do que seja: obstrução das vias lacrimais. “As lágrimas são produzidas pela glândula Lacrimal, que fica anexa às pálpebras, e fluem ao longo da superfície do olho, até que sejam drenadas e escoadas até o nariz. Se houver um entupimento da via lacrimal, o paciente começará a lacrimejar continuamente”, explica o médico oculoplástico André Borba.

Além do lacrimejamento constante, olhos molhados e secreção também são sinais de alerta. O diagnóstico precoce é importante para evitar uma futura infecção por bactérias, causada pelo acúmulo de água. “Algumas pessoas apresentam secreção ocular, dor e vermelhidão na região do canto interno do olho, próximo ao nariz. Isso quer dizer que a lágrima pode estar com bactérias e consequentemente representar um caso de infecção ”, esclarece Dr. André Borba.

Em qualquer dos casos é importante procurar um especialista para que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível. Se for um problema crônico, o tratamento é a cirurgia que se chama DacriocistorrinostomiaA cirurgia permite a confecção de um novo canal entre o saco Lacrimal e o nariz, permitindo o escoamento de maneira natural, e que a pessoa volte a ter sua vida normal.

A obstrução da via lacrimal não escolhe idade. Existe um alto índice em mulheres com mais de 50 anos, mas pode acometer até mesmo em bebês, o que é comum.

A obstrução pode ser congênita, ou seja, quando a criança já nasce com o canal entupido. Nesse caso, André Borba ressalta que uma massagem pode resolver o problema. “Essa massagem deve ser realizada na região do saco lacrimal e faz com que a pressão rompa a membrana de hasner – que deveria ter se rompida em torno do nono mês de gestação. Esta membrana funciona como uma válvula que impede que a lágrima escoe”.

Fonte: Assessoria

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *