Participantes da Rede de Trabalho de Rondonópolis voltam a se reunir para definir estratégias para 2019

Rede de Trabalho, grupo formado por representantes de empresas, sindicatos, associações, entidades e poder público para criar oportunidades aos jovens e pessoas com deficiência na cidade de Rondonópolis, realizou nesta semana, entre os dias 19 e 21 de fevereiro, as primeiras reuniões de 2019 para validar o cronograma de atividades para o ano.

Uma das ações consiste em promover visitas frequentes de funcionários das empresas parceiras da Rede a ONGs e instituições que atendem jovens aprendizes e pessoas com deficiência e vice-versa. A primeira visita foi realizada na terça-feira, 19/2, quando profissionais da Bunge compartilharam experiências com cerca de 40 jovens atendidos pela Obra Kolping, movimento social que busca promoção integral do indivíduo, por meio da formação e ações voltadas ao trabalho. O objetivo foi falar sobre perspectivas para o mercado de trabalho.

Na quarta-feira, 20/2, foi a vez dos jovens da Obra Kolping visitarem o Grupo Faat. A intenção é aproximar cada vez mais os jovens do mercado de trabalho na região. Ontem, quinta-feira, 21/2, os colaboradores do Grupo Petrópolis participaram de atividades com dois profissionais com deficiência, um do próprio Grupo Petrópolis e outro do Departamento Estadual de Trânsito do Mato Grosso (DETRAN-MT), que compartilharam seus desafios e suas conquistas no mercado de trabalho.

Além das visitas, as ações da Rede de Trabalho neste ano visam ampliar o número de postos de trabalho e cursos de qualificação para jovens e pessoas com deficiência e incluem feira de empregos e atividades para a primeira Semana da Inclusão, em abril. As atividades da Rede de Trabalho de Rondonópolis serão desenvolvidas ao longo deste ano em parceria com as empresas participantes do projeto e com a comunidade local.

Rede de Trabalho de Rondonópolis

A rede foi lançada em outubro de 2018 com o objetivo de oferecer qualificação e inserção de jovens aprendizes e pessoas com deficiência no mercado de trabalho em Rondonópolis (MT). A iniciativa surgiu da necessidade de solucionar dois problemas que prejudicam o crescimento econômico e a inclusão social na região: dificuldade para preencher vagas de emprego disponíveis na região e o cumprimento de duas leis importantes – Lei da Aprendizagem, que determina que todas as empresas de médio e grande porte devem contratar de 5% a 15% de jovens entre 14 e 24 anos; e a Lei para PCDs, que garante a inclusão no mercado de trabalho de pessoas com algum tipo de deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *