Da Redação

De acordo com o levantamento do IBGE para Agosto 2017, o Mato Grosso foi o maior produtor nacional de grãos, com participação de 26,2%, seguido pelo Paraná (17,2%) e Rio Grande do Sul (15,1%), que, somados, representaram 58,5% do total nacional previsto. Completam o grupo dos dez maiores produtores de grãos Goiás (9,4%), Mato Grosso do Sul (7,9%), Minas Gerais (5,9%), São Paulo (4,0%), Bahia (3,4%), Santa Catarina (2,9%) e Maranhão (1,8%).

A produção do algodão está colhida em sua totalidade. A produção nacional estimada em setembro foi 2,5% superior à de agosto, com um rendimento médio 3,0% maior. A produção baiana manteve-se estável, enquanto a de Mato Grosso cresceu 3,7%. Ao todo, o país deve colher uma safra de 3,8 milhões t de algodão.

A 2ª safra de feijão foi estimada com um aumento de 3,8% frente à estimativa de agosto, acompanhando os aumentos no rendimento médio (0,5%) e na área colhida (3,4%).Houve redução na expectativa de produção em Pernambuco (27,5%) e em Alagoas (43,3%), devido a problemas climáticos. O aumento na estimativa de produção da 2ª safra de feijão deve-se, principalmente, a Minas Gerais (4,2%), São Paulo (11,5%), Mato Grosso (9,9%), Bahia (18,7%) e Goiás (47,9%), que aumentaram as estimativas da área cultivada e do rendimento médio.

Em relação à 3ª safra de feijão, a previsão é de aumento de 3,5% na produção em relação à estimativa passada Mato Grosso, aumento de 27,0% na estimativa da produção em relação a agosto, devido a expansão da área plantada.

 Com novo ajuste positivo na estimativa de área colhida e rendimento médio na 2ª safra, a produção nacional de milho em 2017 deve alcançar 99,5 milhões t, aumento de 1,1% em relação a agosto. A produção de milho 1ª safra também aumentou 0,3%, e foi estimada em 31,2 milhões t, influenciada, principalmente, por aumentos na estimativa da produção do Paraná (0,9%) e de São Paulo (2,3%).

Em Goiás e no Paraná, o rendimento médio do milho 2ª safra apresentou queda de 3,3% e 1,6%. O impacto nas estimativas de produção dos dois estados juntos foi de 479,2 mil t a menos do que o previsto em agosto. Contudo, esta queda foi compensada pelo aumento de 1,2 milhão t no Mato Grosso, influenciado principalmente pela revisão de 3,2% no rendimento médio estadual, e pelo incremento de 352,3 mil t em São Paulo, após revisão de 12,4% no rendimento médio e de 3,7% na área colhida no estado.

A estimativa de setembro de 2017 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas foi de 242,0 milhões t, uma alta de 30,3% (equivalente a 56,2 milhões t) em relação a 2016 (185,8 milhões t). A estimativa da área a ser colhida (61,2 milhões ha) cresceu 7,3% frente a 2016 (57,1 milhões ha). As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA).

No Banner to display

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados*

"Os comentários não representam a opinião do site GPSnotícias e são de responsabilidade do autor.
As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação."

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>