O plenário do Senado aprovou hoje (15) projeto de lei que regulamenta as pesquisas e análises clínicas para elaboração de novos medicamentos para o tratamento de câncer, Alzheimer, diabetes e outras doenças.

O texto, que segue agora para a Câmara dos Deputados, também estabelece regras mais claras para os testes em seres humanos e busca desburocratizar as etapas de desenvolvimento das novas drogas.

Os senadores incluíram no projeto a previsão de que os doentes que aceitem ser cobaias de experimentos tenham direito a receber a medicação de graça – caso ela seja definitivamente aprovada – até que a rede pública disponibilize o remédio.

“Quando chega a fase experimental, em que você tem que fazer essa experiência em seres humanos, você necessita do voluntário; traduzindo num português mais claro, uma cobaia. É claro que essas pessoas se submetem a isso porque elas querem isso, estão desesperadas pela cura, e, se alguém está dizendo – um médico ou um pesquisador – que essa medicação talvez possa trazer uma melhora, quem sabe uma cura, um alívio da dor, elas vão se submeter”, disse o senador Waldemir Moka (PMDB-MS), um dos autores do projeto.

“Há pessoas engajadas que fariam isso sem nenhum ganho, mas eu tenho que me sensibilizar para que essa pessoa possa receber, de forma perene, permanente, a medicação”, justificou.

Edição: Luana Lourenço
Crédito: Mariana Jungmann - Repórter da Agência Brasil

Powered by WP Bannerize

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados*

"Os comentários não representam a opinião do site GPSnotícias e são de responsabilidade do autor.
As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação."

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>